Cultura

Poemas II | Daniela Pace Devisate

PAISAGEM

 

um minotauro em miniatura
pasta sobre a relva
do meu monte de Vênus

 

 

ARS EROTICA

 

do sêmen sagrado
do deus 
que orvalha
a noite escura
do céu
da minha boca
derramado
banhando estrelas
ainda não nascidas
mergulhadas
no gozo profundo
do vir-a-ser

 

 

DESTINO

 

a Moira que me tece
(des) borda
flores azuis
na borda do abismo
ali onde costumava
deitar-se
a minha alma

 

 

EROS & PSIQUE

 

não machuque o silêncio
não desvele minha face obscura
não levante o cortinado
dessa grande cama

 

apague a lamparina
e cuidado para o azeite
não pingar em nossas asas
me abrace no escuro

 

 

ODISSEIA

 

a tecelã aguarda
o argonauta

 

( na tapeçaria
a quimera sorri )

 

 

HÍMEROS

 

coroado de rosas
suspira o Desejo
doente de amor
jejuante e insone
mas altivo
gozando
com o riso-pássaro
quando atinge
a garganta
e jorra

 

 

CARTA DA FÊMEA

 

aqui do gineceu
meu grito abafado
vai povoar teus pesadelos

 

 

MUSA PAJÉ

 

sem lei nem rei
um pouco bárbara
docemente tosca
cunhatã guerreira
sabe fazer cafuné
enroscada na rede
enquanto me sonha
poemas nus
que pintam o corpo
como um bom selvagem

 

 

INICIAÇÃO

 

neófito :
sem pressa!
saiba que é um crime
devassar a casca virgem
do fruto ainda verde

 

 

NÁIADE

 

ele era
como um deus-rio
e penetrava
por todas as minhas
frestas
insidioso como a água
uma gota mais
e eu vazaria no carpete
fertilizando as margens
do apartamento

 

Daniela Pace Devisate nasceu em São Paulo, capital, em 20 de julho de 1971. Vive atualmente em Iguape. é professora de arte, poeta e artista visual. Teve poemas publicados em diversas revistas literárias digitais, como Germina, Mallarmargens, Literatura&Fechadura, entre outras. Em 2018, participou da coletânea da antologia Voos Literários, pela editora Essencial. No mesmo ano, participou de feiras de publicação independente, onde vendia seus livros artesanais de poesia, editados por sua editora cartonera, a Verso Livre. Em 2019, lançou Haikai Tupy, edição independente com tiragem minúscula. Em 2020, participou da plaquete As luas e suas variações, organizador Cláudio Daniel; participou da antologia Simpósio dxs poetxs bêbadxs; publicou um poema na revista portuguesa T¨lön, editada por Luiza Nilo Nunes e nesse mesmo ano, publicou seu primeiro livro individual, Tantos Quartos lunares, pela editora Urutau. Em 2021, saiu no livro As mulheres poetas na literatura brasileira, editora Arribaçã. Tem um livro no prelo pela editora Kotter, Véus de Alethea.

Qual é a sua reação?

Gostei
0
Adorei
2
Sem certezas
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Próximo Artigo:

0 %