Cultura

Poemas | Hera de Jesus

Poema 004

 

Como um espectro

sinto- te perfurar

minha alma

 

És êxtase

poluindo

minhas 

veias

roubando

pouco a

pouco 

a minha

vida

 

Não sinto

mais o

doce perfume

dos lírios

do campo

 

Não tenho

mais urgência

em existir

em ser

foi- se

a essência

 

Envenenaste

me de amor

exilada

abracei

a morte

em meu

leito de dor  

***

 

À nossa! 

 

Aos beijos

não dados

aos corpos

não somados

 

As palavras 

omitidas 

aos choros

abafados

 

Aos amores

que não vivi

às quecas 

que não dei

 

Às bocas

que não beijei

Aos namorados

que não abracei

às paixões

que jazem

esquecidas

no túmulo

da saudade

 

Ao tempo

À saudade

Ao que se foi

À nossa!

 

HERA DE JESUS 

[Chamanculo, Maputo, Moçambique,1989] Começou a escrever desde tenra idade. De 2013 a 2017, participou e foi distinguida em alguns concursos internacionais de poesia. Tem textos publicados nas antologias “Soletras Esse Verso” (2018), “Fique em Casa” (2020) e “Linguagens e suas Tecnologias, manual do professor” (2020), ” No Cais do Amor” (2022). Tem contribuído para as revistas Lidilisha, Soletras, Contioutras, Por Dentro de África, Escamandro, Avenida Sul, Mallamargens , Folhinha Poética, Cultural Traços/ Alta Cultura, e Germinaliteratura.  É membro da Confraria Brasil/Portugal.

Qual é a sua reação?

Gostei
0
Adorei
0
Sem certezas
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Próximo Artigo:

0 %