Cultura

Poemas | Deema Mohamad

UMA BORBOLETA

 

 Como uma borboleta crua, flutuava em casa

Enquanto eu cozinhava. 

Cortar um pedaço dela para a poesia que está além da cortina

Ninguém sabe o que um poema derreteu de mim. 

Enquanto lavava pratos 

 Uma tempestade de palavras varreu-me enquanto cozinhava okra 

Às vezes, não tenho qualquer explicação para o impulso que me envolve enquanto grelho peixe.

 

Como pêndulo, as estrofes vibram na minha cabeça. 

Eu os quero igualmente, balançando e stressando

Não para serem polidas pelo vapor da fritura e pelo cheiro dos pós de limpeza 

Posso embrulhá-las numa toalha, para não ficarem molhadas pela humidade enquanto arrefecem no frigorífico

Apressei-me a escrever as minhas estrofes 

Esses bicos da cozinha, em notas móveis.

 

Quando o meu dia de casa acaba, olho para o espelho 

Tocando as minhas pestanas, olhos, lábios e as minhas rosas

Então, tenho êxtase pela minha ágil conclusão.

 

Os ídolos da poesia que me tentavam na cozinha, 

Espreitam na minha trança e recusam-se a sair 

Eu tento lembrar-me, mas em vão, como se tivesse caído no prato de sopa

Do meu marido que a engolia dizendo:

Explica-me por que alguns dos teus cozinhados são mais deliciosos que outros

 

Noutras alturas, 

Ele pisca-me o olho ao espelho

Tirando as estrofes de poesia do meu cabelo cigano 

Imprimindo-os com a sua música nos meus lábios. 

Então, quero pisá-las para completar o poema!

 

***

 

TRANSFORMANDO-ME EM FETO

 

Transformo-me em feto

Rola em mim como uma bola

Esta lembrança alimenta-me

Fico no alto do almíscar

Do cordão umbilical

Os odores misturados dos meus pais.

 

Delicio-me com o meu princípio

Minha mãe e eu como um

Enquanto orbitamos o nosso universo.

 

Agora a água limpa fica

No sedimento

O meu verdadeiro eu sem máscara ou efusão

Livre de algas e cores

E surjo sem mitos ou previsões

Livre para me transformar.

 

 

Traduzido do árabe para inglês por Mary Madec

Traduzido do inglês para português por Henrique Dória

 

 

Deema Mahmood 

Poeta egípcia

Nasceu em 1972.

Licenciatura em Ciências da Computação e Estatística, 1993.

Professor assistente durante muitos anos nos departamentos de Ciências da Computação, Matemática e Estatística bem como na Faculdade de Educação do Cairo, e na Faculdade de Ciências da Saúde em Abha, Arábia Saudita.

Publicações

Tranças de Espírito (Poesia), Dar Al-Adham, Cairo, 2015.

– Eu Procuro Confrontos com o Horizonte  sobre um Violino (Poesia), Dar Al Ain, Cairo, 2017.

– Um terceiro livro de poesia em andamento

Muitos dos seus poemas foram traduzidos para inglês, francês, espanhol e português e publicados em várias antologias nessas línguas.

Participou também em muitos eventos culturais e de poesia nacionais e internacionais.

 

 

Qual é a sua reação?

Gostei
0
Adorei
0
Sem certezas
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Próximo Artigo:

0 %