Política

Dia de glória | Atanasius Prius

Hoje é dia de glória para a Real República Bananeira do Sul. O seu presidente-rei vai apresentar ao povo bananeiro e ao mundo a grande invenção integralmente promovida e financiada pelo seu governo: um penico movido a gasolina. Mas não é um penico qualquer: além de ser movido a gasolina para acompanhar o traseiro do rei-presidente para qualquer lugar que ele vá, é um penico inteiramente bananeiro. Trata-se um penico de ouro extraído das Minas do Cururu e fundido pela Companhia   Aurífera Bananeira. A conceção e fabrico da máquina foi de inteira responsabilidade da Micose, orgulho nacional no fabrico de eletrodomésticos. O petróleo que a move saiu dos poços da Banbunda, e foi refinado pela Rataplan, tudo do melhor que tem a Real República Bananeira do Sul.

 

A apresentação nacional teve a presença das mais altas individualidades do Estado, exceto daquelas que recusaram sentar-se no penico. Depois de retirada a bandeira nacional que a cobria, foi solenemente benzida pelo pastor Solas Malfeitor com água do rio Jordão onde o seu traseiro foi lavado para defender do mau olhado todos os traseiros que nela se sentarem.

 

A alta tecnologia usada no fabrico do penico observou os mais altos padrões éticos do neocostal-bananeirismo a fim de dignificar os fundos das costas de todos os crentes que nele se sentassem. O mais notável dessa tecnologia é a capacidade de alargar ou estreitar a bunda de quem nele se senta para a adequar às medidas da real-presidencial bunda, pois a bunda presidencial-real é a medida de todas as bundas. Escusado será dizer que quem quiser ter a honra de nela se sentar terá de pagar propina ao décimo primeiro filho do presidente-rei.

 

Para evitar que o presidente-rei  suje os delicados dedos com a própria caca no caso de se rasgar o papel higiénico, em lugar deste tem um repuxo de água e uma escovinha que, para além de limpar, faz massagens no ânus do presidente-rei, ação essencial para a sua serenidade e para o que o pensamento suba em línguas de fogo para iluminar o messiânico cérebro real-presidencial. Para isso quer a água quer a escovinha são diariamente benzidos pelo pastor real. 

 

Seguindo ainda os ensinamentos de Cristo que, como reza a neocostal doutrina, se no seu tempo estivessem inventadas as pistolas seria pistoleiro, o penico está devidamente armado para que nunca o presidente-rei seja apanhado de cócoras, em momento de aperto, sem possibilidade de se defender dos inimigos do bem.

 

Para a frente tem um órgão  de Estaline ( a Real República Bananeira do Sul tem de se dar bem com os russos para os quais Estaline é um nome muito querido) capaz de lançar três mísseis de cada vez. Para trás tem instalada uma metralhadora capaz de varrer tudo o que pelo traseiro se aproxime. De cada um dos lados, direito e esquerdo, tem duas pistolas Boi Cx44, produto absolutamente insuperável do maior fabricante de armas bananeiro, embora ainda não tenham sido testadas para as comparar com as rivais gringas e russas, mas que, sendo bananeiras e acopladas ao real-presidencial penico, e sendo benzidas pelo pastor Solas Malfeitor estão, com toda a certeza, acima de todas as pistolas.

 

Finalmente, o real penico está dotado de um depósito  de caca e urina, ligado a um pipeline que, saindo do real palácio presidencial, vai estrumar a maior fazenda do bananal, tanta e de tanta qualidade é a caca do presidente-rei.

 

Com este invento, a Real República Bananeira do Sul, demonstrou ao mundo que está na linha da frente da alta tecnologia internacional, por isso, hoje é dia de glória nacional.

Qual é a sua reação?

Gostei
0
Adorei
1
Sem certezas
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Próximo Artigo:

0 %