Cultura

Água de colônia | Beatriz Aquino

Sou culpada.
Admito.
Sou frívola e vã.
Pois aprendi francês antes do guarani.

Também sou colônia.
Também trago as mãos amarradas e a língua bi partida.

Não sei como chamar o meu deus.
Nem que cor tem o meu santo
Minha aleluia é emprestada.
Minha moeda também.

Só a minha cor é a única coisa que me resta.
Um ou outro mapa de casa perdido na palma da mão.
A lembrança dos açoites na pele dos avós maternos.
E essa vista turva e vertiginosa do mundo.

 

Beatriz Aquino, além de escritora, é formada em Publicidade e propaganda e é atriz de teatro. Beatriz também é autora dos livros: Apneia (romance), A Savana e Eu (crônicas), Caligrafia selvagem (poesia), Anne B.: a hora mais pacífica, e outros. Colabora em diversos sites, jornais e revistas, como o jornal O tornado e a revista InComunidade, do Porto. Atualmente vive em Portugal.

Qual é a sua reação?

Gostei
0
Adorei
0
Sem certezas
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Próximo Artigo:

0 %