Cultura

Waleed Alaa Eldin, poeta de pátria árabe

 

 

Waleed  Alaa Eldin nasceu no Cairo em 1973, cidade onde estudou Jornalismo e Comunicação e, actualmente, é um poeta de considerável importância na literatura árabe. Escreveu poemas onde fala sobretudo da sua pátria, o Egipto.

Mais tarde, viajou para os Emirados Árabes Unidos, onde trabalhou no jornal Alkhalij, revelando-se um bom jornalista e um excelente poeta. A sua primeira obra, intitulada Minha Língua Responde-me foi publicada em 2004.

Além disso, sem deixar o seu trabalho no jornal Alkhalij, trabalhou na televisão do Dubai, concretizando um sonho que tinha. Escreveu vários géneros literários tais como o narrativo (contos), o dramático (peças de teatro) e literatura de viagens, como o relato da sua viagem à Argélia.

Escreveu um bom poema sobre a Pátria intitulado “Até mesmo o amante é a pátria”. Como diz Waleed:

“Amigos Surpreendem-nos 
com as suas palavras
Sobre as colheitas
Surpreendem-nos
Com linguagem de desejo
Com verdadeiros amantes
Aqueles algo luar nunca desvanece
Quem se atreve no primeiro
A Amar sozinho
Nunca espiral
Até amar apaixonando..
Que se atreve !!”

 

Este poema trata do amor, dum amor com duas faces. A primeira face é a sua namorada e a segunda a sua pátria.  O poeta usa o pronome “eles”, significando os amigos da sua pátria. Waledd Ala Eldin pretende dizer que o amor não tem definição, é uma coisa abstracta.

Existe um estudo comparativo entre o poeta Waleed Alaa Eldin e o poeta brasileiro Gonçalves Dias. O estudo debruça-se sobre os dois poemas, o de Waleed, intitulado ”Até mesmo o amante é a pátria” e o  poema de Gonçalves Dias, ”Canção de exílio”.

Por fim, podemos dizer que Waleed Alaa Eldin tem um grande amor pela sua pátria árabe . O seu amor por ela é comparável ao do poeta português Fernando Pessoa, quando este diz: “a minha pátria é a língua portuguesa”.

Waleed recebeu vários prémios, entre eles, o prémio Literatura de Guerra, em 1996; Aharkaa, em 2006 e o prémio de Sawires, em 2016, com “72 horas de perdão”.

 

 

Faysal Rouchdi é tradutor do Árabe-Português, Mestre em Literatura Comparada e Doutorando em Literatura Portuguesa pela Université Mohammed-V Agdal. Escreve, mensalmente, artigos sobre Literatura Lusófona na revista de arte e cultura Turath, publicada nos Emirados Árabes Unidos.

 

Qual é a sua reação?

Gostei
0
Adorei
0
Sem certezas
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximo Artigo:

0 %