ANO 8 Edição 92 - Maio 2020 INÍCIO contactos

Júnior Cruz


Projeto Brasil Reciclado    

Me chamo Júnior Cruz, sou marceneiro de origem nordestina onde todos antepassados por parte do meu pai eram marceneiros. Fui criado no Rio de Janeiro, sempre fui envolvido com arte de forma não profissional. Quando me mudei para a região dos lagos, mas perto da natureza e com mais tempo disponível, decidi começar um trabalho artístico de forma efetiva. A ideia inicial era trabalhar com minhas sobras de madeira, fiz os três primeiros mapas ainda em fase experimental, minha oficina aínda era no Rio.

 

Por falta de material fui caminhar na praia para coletar madeira e, além de madeiras, encontrei todo o tipo de resíduo. Na próxima vez que saí para caminhar, fui catar plástico e quando montei o mapa me lembrei de todo lixo que deixei para trás pois só trouxe o que era necessário para trabalhar e nesse momento notei que meu trabalho além de artístico se tornara também ecológico e é assim que eu o trato: 50% 50% . Isso era 2011, comecei a fazer mapas com todo tipo de resíduo.

 

Em 2015, começo a fazer exposições em Búzios e Casimiro de Abreu em hotéis e restaurantes. Em, 2017 tive uma crise existencial, se sou artista e falo que sou ecológico, o que estou fazendo pelo meio ambiente? Em 10 minutos, tive a ideia de fazer um mutirão de limpeza da praia e com o resíduo fazer um mapa na areia de 20 metros. O que era uma exposição se transforma em projeto. Em 2018, fiz um maior,  mas não consegui filmar com o drone pois estava ventando muito. No entanto, esse projeto me desgastou muito pois tive que correr atrás de patrocínio e o setor privado não é muito receptivo a esse tipo de projeto e o público nem se fala.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Brasil Reciclado chega à cidade maravilhosa!!                                          

 

Artista expõe mapas do Brasil em diferentes materiais recicláveis no Galpão das Artes.

 

O Galpão das Artes Urbanas da Comlurb inaugura no próximo dia 5 de março a sua nova exposição, Brasil Reciclado. Os trabalhos do artista plástico Júnior Cruz recriam mapas do país em diferentes tipos de materiais recicláveis, dos mais simples aos mais inusitados. Os resíduos são coletados pelo artista nas praias, rios e cidade, como pregos, lixo eletrônico, tampas de garrafas PET, madeiras de demolição, sucatas, cacos de cerâmica, plástico, entre outros. Brasil Reciclado propõe uma reflexão sobre reciclagem não só de materiais, mas também de pensamentos e costumes.

 

Júnior Cruz nasceu na Paraíba, mas desde os dois anos de idade mora no Rio de Janeiro. Marceneiro de formação, mas com forte veia artística, Cruz já fazia cenários para shows de artistas como Leila Pinheiro, Flávio Venturini e Fat Family, quando mudou para Cabo Frio, na Região dos Lagos. Lá, passou a trabalhar como assistente do artista plástico Adriano de Aquino. A partir de 2011, resolveu se dedicar às suas próprias obras, expondo trabalhos em Búzios e Casimiro de Abreu. A preocupação ambiental sempre pontuou toda a obra do artista, que participa inclusive de mutirões de limpeza de praias. Apesar de ter peças vendidas para várias partes do Brasil e do exterior, a exposição no Galpão é a primeira realizada no Rio de Janeiro. 

 

A exposição é gratuita e o Galpão das Artes Urbanas da Comlurb fica na Rua Padre Leonel Franca s/nº - Gávea (em frente ao Planetário).

 

Serviço: Sala Contemporânea

 

Abertura: 5 de março de 2020, quinta-feira, 19 h às 22h
Visitação: 6 de março até 29 de maio
Segunda à sexta-feira, 9h às 17h
Galpão das Artes Urbanas Helio Pellegrino
Rua Padre Leonel Franca s/nº - Gávea (em frente ao Planetário)
Entrada grátis
Tel.: (21) 3890-4960 e (21) 99002-1981 galpaodasartes@gmail.com

 

Júnior Cruz nasceu na Paraíba, mas desde os dois anos de idade mora no Rio de Janeiro. Marceneiro de formação, mas com forte veia artística, Cruz já fazia cenários para shows de artistas como Leila Pinheiro, Flávio Venturini e Fat Family, quando mudou para Cabo Frio, na Região dos Lagos. Lá, passou a trabalhar como assistente do artista plástico Adriano de Aquino. A partir de 2011, resolveu se dedicar às suas próprias obras, expondo trabalhos em Búzios e Casimiro de Abreu. A preocupação ambiental sempre pontuou toda a obra do artista, que participa inclusive de mutirões de limpeza de praias.

TOP ∧

Revista InComunidade, Edição de Maio de 2020


FICHA TÉCNICA


Edição e propriedade: 515 - Cooperativa Cultural, ISSN 2182-7486


Rua Júlio Dinis número 947, 6º Dto. 4050-327 Porto – Portugal


Redacção: Rua Júlio Dinis, 947 – 6º Dto. 4050-327 Porto - Portugal

Email: geral@incomunidade.com


Director: Henrique Dória       Director-adjunto: Jorge Vicente


Revisão de textos: Filomena Barata e Alice Macedo Campos

Conselho Editorial:

Henrique Dória, Cecília Barreira, Clara Pimenta do Vale, Filomena Barata, Jorge Vicente, Loreley Haddad de Andrade, Maria Estela Guedes, Myrian Naves


Colaboradores de Maio de 2020:

Henrique Dória, Adán Echeverria, Adelto Gonçalves, Adrian’dos Delima, Antônio Lázaro de Almeida Prado, Antônio Torres, Beatriz Aquino, Caio Junqueira Maciel, Camila Olmedo, Cássio Amaral, Cecília Barreira, Claudia Vila Molina, Deusa d’África, Eduardo Madeira, Eduardo Rennó, Ester Abreu Vieira de Oliveira, Fábio Pessanha, Federico Rivero Scarani, Flávio Machado, Flávio Sant’Anna Xavier, Henrique Dória, Hermínio Prates, Hirondina Joshua, Júnior Cruz, Lahissane, Leila Míccolis, Lourença Lou, Luís Giffoni, Marinho Lopes, Matheus Peleteiro, Moisés Cárdneas, Nilda Barba, Paulo de Toledo, Paulo Martins, Ricardo Ramos Filho, Waldo Contreras López


Foto de capa:

YUE MINJUN, 'Hats series: Armed forces', 2005 || AI WEIWEI, 'White House - The Skateroom', s/d


Paginação:

Nuno Baptista


Os artigos de opinião e correio de leitor assinados e difundidos neste órgão de comunicação social são da inteira responsabilidade dos seus autores,

não cabendo qualquer tipo de responsabilidade à direcção e à administração desta publicação.

2014 INCOMUNIDADE | LOGO BY ANXO PASTOR