ANO 8 Edição 87 - Dezembro 2019 INÍCIO contactos

Ricardo Pedrosa Alves


4 poemas angolanos    

A BATALHA pelo conteúdo em Vila Franca de Xira como um voo manifesto ao rés-do-chão
como um cão intolerado pela gerência
como Cacau do brasileiro Amado ou aquele Dos Passos
lá onde estatuto imperial impedia o comentário colonial
perto dos gaibéus do senhor Alves Redol
assim simples assim comprei as duas últimas canecas
depois de circular sozinho com aqueles sem medo
perto dos pescadores dos estivadores das operárias
sem medo os do PC que anarquistas já não havia
escreviam poemas na prisão desvalorizando as paredes
comprei as últimas canecas e compraria mais
(ali ainda era tudo pelas ciências sociais)
mas saí no sol e raiava sua batalha pela forma
parei na janela no preço do prato de rim
é ainda o mesmo sufoco lá e cá embora
na volta falasse de Kobe Bryant um miúdo de Angola

 

 

 

 

 

 

NO RESTAURANTE da faculdade de letras
Paula Tavares conversava com alguém
enquanto tomava sopa
depois sobremesa de melancia
um suco
não falei com ela
mas bastava olhar
e ver aura
conversou também com a atendente
a mesma que me serviu café
talvez noutra dimensão amamos
talvez dançamos
ali não tive coragem
se em mim via corpo

 

 

 

 

 

 

SÃO MORTE os dias sem memória
algo assim em Eugénio de Andrade
as crianças restam sozinhas
sem pais no país
fazem bandos assaltam
um presente contínuo
das ruas de alcatrão
não jogam travesseiros
umas nas outras
flutuariam fingindo banda
corneta zabumba Jean Vigo
quem repara porém
vê o nó antigo no presente
(oxalá cresçam istmos
na fratria fratricida)

 

 

 

 

 

 

EXPLORAR É um verbo perigoso
daí o diálogo per absentiam
em Ruy Duarte de Carvalho
com fala tão legível aos outros
quão indecifrável a si
de ausente para ausentes
que melhor fala o mato
no que a areia engana
pois se ondula a duna
embaixo há missossos
contando por ossos
partes de corpos perdidas
vestidas de um sol sozinho

 

 

Ricardo Pedrosa Alves (1970), publicou os livros “Desencantos mínimos” (Iluminuras), “Barato” (Medusa), “Poemas baseados” (Kotter Editorial). É professor de sociologia e pesquisador de literaturas africanas.

TOP ∧

Revista InComunidade, Edição de Dezembro de 2019


FICHA TÉCNICA


Edição e propriedade: 515 - Cooperativa Cultural, ISSN 2182-7486


Rua Júlio Dinis número 947, 6º Dto. 4050-327 Porto – Portugal


Redacção: Rua Júlio Dinis, 947 – 6º Dto. 4050-327 Porto - Portugal

Email: geral@incomunidade.com


Director: Henrique Dória       Director-adjunto: Jorge Vicente


Revisão de textos: Filomena Barata e Alice Macedo Campos

Conselho Editorial:

Henrique Dória, Alice Macedo Campos, Cecília Barreira, Clara Pimenta do Vale, Filomena Barata, Jorge Vicente, Maria Estela Guedes, Maria Toscano, Myrian Naves


Colaboradores de Dezembro de 2019:

Henrique Prior, Adán Echeverría, Adelto Gonçalves, Alexandre Brandão, Almeida Cumbane, André Balaio, André Caramuru Aubert, André Nigri, Antônio Torres, Ascensíón Rivas Hernández, Carlos Matos Gomes, Cecília Barreira, Danyel Guerra, Demétrio Panarotto, Deusa d’África, Elísio Miambo, Fiori Esaú Ferrari, Geraldo Lima, Hermínio Prates, Irma Verolín, Rolando Revagliatti, entrevista, Jayme Reis/ Myrian Naves, pelo Conselho Editorial, João Morgado, Jorge Elias Neto, José Gil, Lahissane, Leila Míccolis, Luanna Belmont, Lucas Perito, Luis Bacigalupo, Luís Giffoni, Marinho Lopes, Myrian Naves, Otildo Justino Guido, Ricardo Pedrosa Alves, Ricardo Ramos Filho, Taise Dourado, Viviane de Santana Paulo, Waldo Contreras López, Wanda Monteiro


Foto de capa:

MARC CHAGALL, 'Maternité avec Père Noël', 1954 || FRANCISCO DE GOYA, 'Perro simihundido', 1819-1823.


Paginação:

Nuno Baptista


Os artigos de opinião e correio de leitor assinados e difundidos neste órgão de comunicação social são da inteira responsabilidade dos seus autores,

não cabendo qualquer tipo de responsabilidade à direcção e à administração desta publicação.

2014 INCOMUNIDADE | LOGO BY ANXO PASTOR