ANO 6 Edição 83 - Agosto 2019 INÍCIO contactos

Conselho Editorial


Eventos e Lançamentos editoriais    

 

I.

 

Brasil:

 

 

 

1. ‎Bienal do Livro Rio | 30/08 a 08/09

 

Maior festival literário do Brasil oferece ‘uma Bienal para cada público’

 

A XIX Bienal Internacional do Livro Rio começa dia 30 de agosto, a programação será a mais diversa, com conteúdos múltiplos e debates sobre temas como democracia, feminismo, Fake News, meio ambiente, história, diversidade, fé, entre outos.

 

A programação para jovens e adultos é extensa, mas não só: educadores e crianças terão atenção ainda mais especial nesta edição. Pela primeira vez, o festival dedica um pavilhão ao público infantil, onde estará a maior atividade do evento – área cenográfica de 500 m², que propiciará uma experiência imersiva e sensorial como se estivessem em uma floresta, dentro de um grande livro pop-up.

 

Ana Maria Machado será homenageada na Bienal do Livro Rio

 

Escritora celebra 50 anos de carreira e estará na primeira mesa do Café Literário

 

Ana Maria Machado será homenageada na XIX Edição da Bienal Internacional do Livro Rio pelos seus 50 anos de carreira. Toda a obra da autora, da literatura infantil aos ensaios e romances, terá destaque no festival. A primeira mesa do Café Literário, no dia 30 de agosto, às 17h, será dedicada a ela. A escritora conversa sobre as cinco décadas dedicadas à literatura.

 

Ganhadora do Prêmio Hans Christian Andersen (2000), considerado o Nobel da literatura infanto-juvenil, a jornalista e escritora Ana Maria Machado é autora de mais de 100 títulos, alguns deles publicados em 17 países, somando mais de 18 milhões de exemplares vendidos. Desde 2003, Ana Maria Machado ocupa a cadeira número 1 da Academia Brasileira de Letras.

 

 

 

Fórum de Educação traz programação voltada para educadores na Bienal

 

Espaço terá ativações para aperfeiçoamento profissional, inspiração e troca de experiências; veja o que está confirmado na programação.

 

Importantes mediadores para o estímulo da leitura, os professores terão uma programação especial durante a XIX Bienal do Livro Rio. No Fórum de Educação, a proposta é colocar a educação em diálogo com diferentes plataformas e conectar saberes para encarar o desafio de educar em um mundo em transformação.
“É um espaço para que o professor ouça, converse e seja ouvido”, segundo a diretora da Bienal, Tatiana Zaccaro. “Para a maioria dos brasileiros, os professores são o único elo entre o universo literário, a criança e o jovem. Nada mais justo do que valorizá-los com experiências enriquecedoras para seu dia a dia de trabalho”, defende Tatiana.
O Fórum de Educação acontece nos dias 2 e 3 de setembro.

 

 

2. SALÃO DO LIVRO INFANTIL E JUVENIL DE MINAS GERAIS – 2019

 

 

Salão do Livro Infantil e Juvenil de Minas Gerais – 2019

 

 

 

 “Tem Criança, Tem Poesia”. Esse é o tema do Salão do Livro Infantil e Juvenil de Minas Gerais de 2019, que acontece de 03 a 08 de setembro em Belo Horizonte e homenageará o poeta Libério Neves, recentemente falecido. O Salão é o maior evento literário dedicado ao público infantil e juvenil de Minas Gerais e pela primeira vez será realizado fora do centro da Capital, ampliando sua área de atuação.

 

 

 

Programação cultural gratuita, com autores e ilustradores de todo país. Com mesas-redondas, lançamentos de livros, bate-papos, contação de histórias e outras apresentações artísticas, o que acontecerá paralelamente a uma feira de livros com as principais editoras do gênero no país.

 

 

LIBÉRIO NEVES é o autor homenageado desta edição. poeta e escritor de literatura infantil Libério Neves. Seu primeiro livro foi publicado em 1965: Pedra solidão. Suas poesias eram fortemente influenciadas pelo concretismo e os irmãos Haroldo e Augusto de Campos, pela Imprensa Oficial. O livro havia vencido o Prêmio Cidade de Belo Horizonte no ano anterior.

 

Na primeira edição do Suplemento Literário, em 1966, viu com surpresa um poema dele sendo publicado, por escolha de Murilo Rubião e depois foi trabalhar na redação do Suplemento, que descrevia com um grande ponto de encontro de intelectuais. Antônio Libério Neves também foi fundador da revista Veredas, escritor do Suplemento Literário e participou da exposição da primeira Semana Nacional de Poesia de Vanguarda e autor dos livros Mineragem, Olhos de Gude, Memórias dos Cães e o Cavalo Amarelo. Libério faleceu no dia 11 de agosto deste ano.

 

 

 

TEM CRIANÇA TEM POESIA

 

 

 

A partir do tema escolhido, toda programação valoriza a poesia como texto importante para as crianças, além de temas como o humor, a fantasia, o terror, a espiritualidade, o cordel, os quadrinhos.

 

O SALÃO DO LIVRO INFANTIL E JUVENIL DE MINAS GERAIS, evento tradicional do calendário das feiras literárias brasileiras, o evento acontece em Belo Horizonte desde o ano 2000 como “Salão do Livro e Encontro Internacional de Literaturas em Língua Portuguesa” e permaneceu na agenda cultural de BH, anualmente, até 2007. Em 2011 o Salão retornou, idealizado para o público Infantil e Juvenil, e tem ocorrido desde então.

 

SALÃO DO LIVRO INFANTIL DE JUVENIL DE MINAS GERAIS

 

País: Brasil
Data: 03 a 08 de setembro
Horário: 8 horas às 21 horas durante a semana, 9 horas às 20 horas no sábado e 10  horas às 18 horas no domingo
Cidade: Belo Horizonte, Minas Gerais.
Local: Casa Raja Shopping (Av. Raja Gabáglia, 3950 – Bairro Estoril)

 

 

 

II.

 

 

 

Europa:

 

WIEN SEMINAR 2019

 

Áustria, Viena

 

 

WIEN SEMINAR 2019


No dia 07 de setembro, a partir das 9:00 horas, acontecerá, na Embaixada do Brasil em Viena, na Áustria, o Wien Seminar 2019 - Transdisciplinaridade Literária – Inovação & interação global das várias ciências dos fazeres artísticos femininos. O evento será resultado de uma parceria entre a Embaixada do Brasil e escritoras do coletivo Mulherio das Letras Europa, um movimento que já agrega mais de 440 brasileiras, em sua maioria, escritoras residentes na Europa.
O Mulherio das Letras é um movimento horizontal, coletivo e não hierárquico, iniciado no Brasil em 2016, durante a 14ª Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP), para discutir a importância da mulher na literatura e oferecer visibilidade para a literatura feita por mulheres. No Brasil, o referido Coletivo Feminista Literário, idealizado pela escritora Maria Valéria Rezende, conta, atualmente, com a adesão de, aproximadamente, 6.500 mulheres brasileiras.
O Wien Seminar 2019 - Transdisciplinaridade Literária – Inovação & interação global das várias ciências dos fazeres artísticos femininos surge com o propósito inovador de reunir todas as escritoras que vivem na Áustria e em países vizinhos  (Suíça, Alemanha, República Checa, Eslováquia, Hungria, Eslovênia e Itália), para promover a interação global do fazer literário e criar um espaço propício ao diálogo entre escritoras e demais mulheres de diferentes campos de atuação relacionado às práticas artísticas, como fotógrafas, cineastas, musicistas, ilustradoras, contadoras de histórias, tradutoras, designers, revisoras, livreiras, editoras, críticas literárias, acadêmicas, que se interessem pela transdisciplinaridade literária. O propósito deste evento, que objetiva funcionar como um espaço para ampliar o diálogo entre mulheres dedicadas a diferentes práticas artísticas, é apoiar o coletivo Mulherio das Letras Europa, atuando, entre outros objetivos, como mais um meio para coletar informações sobre as reivindicações das mulheres brasileiras residentes nesse bloco de oito países.
O evento contará com a participação de dez escritoras/pesquisadoras, entre as quais três serão as escritoras homenageadas, Mazé Chotil, Sonia Palma e Vera Lúcia, e as demais escritoras/pesquisadoras oferecerão palestras: Ana Dietmüller (Crônica: experiência/inspiração do fazer literário); Karina de Rezende-Fohringer (Português como Língua de Herança na Áustria); Lívia Mata (Gamosa e outras histórias); Pollianna de Fátima Santos Freire (O campo literário brasileiro e a literatura de autoria feminina: a recepção da obra de Martha Batalha no exterior); Rosana Crispim da Costa (O meu corpo traduz muitas línguas); Sandra Maciel Barreto (A poesia e a melodia na língua portuguesa); e Sonia Miquelin (Projeto internacional PAZ & PEACE).

 

O WIEN SEMINAR 2019 é um evento gratuito, mas necessita de inscrição, uma vez que o auditório da Embaixada do Brasil em Viena tem um limite de acentos pré-estabelecido.

 

Links do evento:
https://www.e-inscricao.com/testedeplataforma/wienseminar
https://www.facebook.com/Wien-Seminar-2019-104007264296840/
https://www.facebook.com/groups/1341048035943872/

 

Para mais informações:
Entrar em contato com as organizadoras, Ana Dietmüller - Whatsapp +43 660 531 8484, e/ou Sandra Barreto, Whatsapp +55 85 9 9738 0209 ou pelo perfil no Facebook https://www.facebook.com/sandramaciel.barreto

 

 

 

Lançamentos:

 

Brasil


1. Pré-Lançamento: Eunice Arruda – Visivel ao Destino - Obra Completa
    Homenagem à poeta Eunice Arruda –  Balada Literária 2019

 

 

 

Pré-Lançamento: Eunice Arruda – Visivel ao Destino - Obra Completa

 

 

 

 

 

1. Eunice Arruda – Visivel ao Destino - Obra Completa
 
Evento: Homenagem à poeta Eunice Arruda – Balada Literária 2019

 

Data: 07.09.2019

 

Local: Biblioteca Mário de Andrade

 

Cidade: São Paulo

 

 

 

2. Portugal

 

Lançamento:

 

1.

 

Pés pequenos pra tanto corpo", Manuella Bezerra de Melo

 

 

 

Pernambucana Manuella Bezerra lança livro em Portugal, Brasil e Galícia

 

Poemário da escritora e jornalista brasileira esvazia os cansaços deste tempo. Obra será lançada pela Editora Urutau.

 

 

 

"Um poemário para esvaziar o cansaço", é assim que a autora brasileira Manuella Bezerra de Melo descreve o seu segundo livro de poemas, "Pés pequenos pra tanto corpo", que será publicado pela Editora Urutau em Portugal, na Galícia e no Brasil ainda neste mês de junho. A primeira apresentação ao público será no dia 22, na Biblioteca Lúcio Craveiro, em Braga. No Brasil o livro está em pré-venda no site da editora Urutau.  

 

A obra - que tem orelha da vencedora do prêmio Agustina Bessa Luís, a portuguesa do Funchal Judite Canha Fernandes - é o segundo livro de poemas da autora, que, em 2017, publicou "Desanônima" (Autografia), além do infantil "Existem Sonhos na Rua Amarela" (Multifoco, 2018).

 

Há dois anos morando em Portugal, onde finaliza o mestrado em Teoria da Literatura na Universidade do Minho após uma experiência na Região de Córdoba, na Argentina, a autora é entusiasta das mudanças e encontra nas distâncias os silêncios necessários para ouvir os poemas que escreve; e cedo ou tarde sempre vai embora.

 

“Tenho a impressão de que uma voz me manda embora. E dessa inquietude é que crio, e os poemas para mim evitam a morte dos meus silêncios e, por isso, também a minha. Como estou sempre em trânsito, nunca descanso. Desta caminhada vem o peso do cansaço”, explica ela, que vivia em Braga e atualmente mora em Guimarães, cidade chamada de "berço de Portugal". Mas essas são somente duas das cidades que já chamou de casa.

 

Pós-graduada em Literatura Brasileira e interculturalidade, a autora acredita que "Pés pequenos pra tanto corpo" relaciona em seu poemário o trânsito entre Brasil e Portugal, a vivência migrante, o olhar distante - mas atento - ao país e a língua materna, a hibridação lusófona do entre lugar europeu e latino, os sentimentos de dor e empatia e o profundo respeito aos outros do mundo.

 

Ativista em diversas frentes de militância, Manuella não esconde o caráter político da obra. “Leio a sociedade pela literatura. Vivo neste tempo, escrevo neste tempo, sou entusiasmada pelas vivências dele. Vejo a literatura como um direito, como um lugar de disputa de narrativas, um espaço pra enfrentar a hegemonia”, conclui.

 

Por isso, escreve sobre a dor das mulheres e as violências por que passam seus corpos, sobre opressões, utopias e liberdade, mas também sobre a angústia de ser espectadora privilegiada e inútil da barbárie, ou como diz Judite "A sua busca é algo que vai me escapar sempre... Versos que me ofereceram um lugar parado no tempo, o colapso dos ruídos à minha volta, o esquecer de minha própria consciência que parece nunca querer dormir".

 

Nascida em Pernambuco, Manuella Bezerra de Melo foi produtora cultural e repórter, especializou-se em Literatura Brasileira e Interculturalidade. É poeta, cronista, autora e contadora de histórias infanto-juvenis. Quando viveu nas Serras de Córdoba, na Argentina, publicou sua primeira obra, "Desanônima" (Autografia, 2017). Já em Portugal, publicou "Existem Sonhos na Rua Amarela" (Multifoco, 2018) e "Pés pequenos pra tanto corpo" (Urutau, 2019) e participou da antologia "Pedaladas Poéticas" (Aquarela Brasileira, 2017). Mora em Guimarães e dedica-se a um mestrado em Teoria da Literatura na Uminho.

 

Pés Pequenos pra Tanto Corpo
Editora Urutau
Autora: Manuella Bezerra de Melo
Língua: Português do Brasil
Contato: +351910356828
manuellabmm@gmail.com

 

 

 

 

 

Exposição de Arte:

 

Brasil:

 

A PELEJA DE DIOGO CÃO EM TERRAS DO TESOURO PROMETIDO

 

LINEOGRAVURAS DO ARTISTA JAYME REIS

 

 

Exposição: A PELEJA DE DIOGO CÃO EM TERRAS DO TESOURO PROMETIDO
Data: 31.08 a 22 de setembro 2019
País: Brasil
Local: Teatro da Cidade - Galeria do Teatro da Cidade
Endereço: Rua da Bahia, 1341, Centro. Belo Horizonte, Minas Gerais.

 

A Exposição, nomeada A PELEJA DE DIOGO CÃO EM TERRAS DO TESOURO PROMETIDO, apresenta cerca de vinte imagens produzidas em várias épocas, mas principalmente as que foram realizadas neste ano.

 

Entre os trabalhos em exposição está a primeira xilogravura do artista, um autoretrato de 1978, aos seus 20 anos.
“Sim, eu fiz xilo. Inventei a tinta arranhada em cima de ferro, por falta de ateliês de gravura em BH (Belo Horizonte). Gosto tanto da técnica que tive que inventar um modo pessoal, particular, de realizar obras utilizando a técnica.” E se tornou uma experiência importante, uma criação, aliando criatividade e técnica.
Todos os outros trabalhos, linoleo.

 

A técnica

 

O artista comprou o prelo que pertenceu a seu grande amigo Paulo Giordano e, segundo o próprio, isto é significativo. Voltou a fazer Xilos em Portugal em 2018 e todas as gravuras deste ano são feitas neste prelo.

 

Nas Xilos, navegantes portugueses sempre aparecem, ou quase sempre. Segundo Jayme Reis, “Pegei no pé do navegador e também de sua Nau.” Faz questão de pontuar que “A semelhança com as técnicas de ilustração da Literatura Brasileira de Cordel (http://www.ablc.com.br/) não são meras coincidências, também do significado”.
 
As linoleogravuras; o linoleo, a maior parte é em formato pequeno, no formato A4. Utilizando o suporte preferido, usa o papel adequado, tipo Canson, e _ um diferencial, gosta de desenhar em papéis pretos.

 

Jayme Reis é um artista plástico brasileiro. Autodidata, multidisciplinar. Nascido em Itabira, Minas Gerais, explora a diversidade de linguagens – cerâmica, objetos, desenho, gravura, fotografia e arte digital, buscando expressões limítrofes de linguagem e de gêneros. Selecionado para o projeto de Residências Artísticas da Fundação Bienal de Arte de Cerveira – Vila Nova de Cerveira – Portugal, e também para o projeto de Residências Artísticas do Polo Cultural Gaivotas | Boavista – Lisboa (2017) Algumas de suas obras passam a integrar a Coleção Lusofonias da Perve Galeria – Lisboa (2018).
Com titulo “A Reconstrução do Templo”, participou como artista convidado da terceira edição da Bienal Internacional de Gaia, 2019.

 

 

Gravura, Jayme Reis.

 

Myrian Naves, pelo Conselho Editorial

TOP ∧

Revista InComunidade, Edição de Agosto de 2019


FICHA TÉCNICA


Edição e propriedade: 515 - Cooperativa Cultural, ISSN 2182-7486


Rua Júlio Dinis número 947, 6º Dto. 4050-327 Porto – Portugal


Redacção: Rua Júlio Dinis, 947 – 6º Dto. 4050-327 Porto - Portugal

Email: geral@incomunidade.com


Director: Henrique Dória       Director-adjunto: Jorge Vicente


Revisão de textos: Filomena Barata e Alice Macedo Campos

Conselho Editorial:

Henrique Dória, Alice Macedo Campos, Cecília Barreira, Clara Pimenta do Vale, Filomena Barata, Jorge Vicente, Maria Estela Guedes, Maria Toscano, Myrian Naves


Colaboradores de Agosto de 2019:

Henrique Dória, Adán Echeverría, Adelto Gonçalves, Alexandra Vieira de Almeida, Amoi Ribeiro, Angelo Oswaldo de Araújo Santos, Atanasius Prius, Caio Junqueira Maciel, Carlos Matos Gomes, Cida Sepulveda, Conselho Editorial, Demétrio Panarotto, Eloésio Paulo, Érico Hammerström, Flávia Fernanda Cunha, Flávio Otávio Ferreira, Gabriel Impaglione ; Rolando Revagliatti, entrevista, Gladys Mendía, Hermínio Prates, Hugo Pontes, Iza Maria de Oliveira, José Arrabal, Krishnamurti Goés dos Anjos, Leila Míccolis, Leonardo Almeida Filho, Luiz Edmundo Alves, Manuella Bezerra de Melo, Marco Aurélio de Souza, Maria Emília Lino Silva, Marinho Lopes, Max Lima, Ricardo Ramos Filho, Sônia Pillon, Tereza Duzai, Thássio Ferreira, Waldo Contreras López


Foto de capa:

MARC CHAGALL, 'Aleko and Zemphira by moonlight: study for backdrop for scene 1 of the Ballet «Aleko»', 1942


Paginação:

Nuno Baptista


Os artigos de opinião e correio de leitor assinados e difundidos neste órgão de comunicação social são da inteira responsabilidade dos seus autores,

não cabendo qualquer tipo de responsabilidade à direcção e à administração desta publicação.

2014 INCOMUNIDADE | LOGO BY ANXO PASTOR