ANO 5 Edição 76 - Janeiro 2019 INÍCIO contactos

Henrique Dória


Poemas e Fragmentos

FALO DAS COISAS SÉRIAS DA VIDA

 

Falo das coisas sérias da vida
Com a minha voz de criança
Jogando no ar azul
Ao pé cochinho.

 
Liberto-me de mim mesmo
Saltando sobre o amor e a morte
Sem lágrimas nem carícias.

 
Recordações semelhantes a penugem
Esvoaçam
Furacões fendem-se
Estrelas caem de amargura.

 
Mas só falando assim das coisas sérias da vida
O meu coração será o canto do alaúde
Para habitar um céu sem rugas.

 

 

 

 

 

 

FRAGMENTO CONTRA CIORAN


O otimismo é a paixão dos que sabem que vão morrer.

 

 

 

 

 

 

UMA ESTRELA NA BOCA 


Uma estrela na boca
Tocas-lhe com a língua
Tocas-lhe com os lábios
Tocas-lhe
Mas não podes acreditar na proximidade dos céus.

 
Toda a vida te há-de queimar
O teu corpo a tua alma são febre
Os outros são febre
Oh amante das estrelas.
Um dia após a Primavera da Ressurreição
Sentirás a luminosa palavra
Jorrando da fonte subtil
Vagas de línguas de fogo.

 
Um dia na floresta da noite
Estará nas tuas mãos
O Vaso dos Mistérios.

 
Nesse dia, a espada flamejante
Afundar-se-á no teu coração
Celestial, sagrada.

 

 

 

 

 

FRAGMENTO


Só o humano é divino. O resto é mito.

 

 

 

 

 

 

FRAGMENTO


A malvadez e a ignorância estúpida andam sempre de mãos dadas. O malvado inteligente mete as mãos nos bolsos.

 

 

 

 

 

 

FRAGMENTO

 

 O riso surge quando fechamos a porta do quarto escuro em que nos refugiamos para fugir ao drama, e o drama nos entra pela janela.

 

 

 

 

 

 

FRAGMENTO


Dramatismo na escrita e na vida como modo de lutar comigo mesmo para poder viver.

 

 

 

 

 

 

SOMOS IRMÃOS, EU SEI

 
Somos irmãos, eu sei
Mas não conheço ainda
O cerne do teu sangue
A tua lua luminosa
E creio que tu mesma
Hesitas no teu nome verdadeiro.

 
Tenho navegado em direção a ti
Para alcançar a tua ilha
Escondida entre a vida
E a morte.

 
Mas embora guiado pelas estrelas
Não logrei ainda tocar essa
Ilha da salvação.

 
Oh, dá-me um mapa para o meu
Caminho marítimo
Um farol ainda que ténue
A tua mão em chama.

 
Se te encontrar
Eu te prometo o sonho
O sol
A fonte

 
Que há-de saciar
Os teus lábios sábios.

 

 

 

 

 

 

AH MULHER DE PASSOS SOLARES

 

Ah mulher de passos solares
Se esta rua me falasse
Eu seguir-te-ia como uma matilha
De cães docemente vadios
Seguiria as tuas pernas
Com uma suave cicatriz no centro
Seguiria o teu ventre ao vento
Os teus seios celestes
De muitas luas
E os teus cabelos de gótico flamejante
Onde se perderiam as mãos
Dos profetas.

 
Ah mulher bolsa pequena
Sob a erva
Mulher de bolsa voraz
A contradizer os santos e as senhas
Mulher que amplias a minha voz
Com o teu búzio
Mulher que à noite fazes do meu sangue
Suavemente branco
A tua ceia sagrada

 
Tu mulher que ergues o incêndio
E o afagas
Serás sempre o manto vermelho
Com que entrarei no céu
Virginal e louco.

 

 

 

 

 

 

FRAGMENTO


É na música que o homem sente a felicidade da sua solidão.Quando escutamos as VARIAÇÕES GOLDBERG, pelo GLENN, compreendemos que poderíamos morrer em solidão absoluta que morreríamos em felicidade.

 

Henrique Dória

TOP ∧

Revista InComunidade, Edição de Janeiro de 2019


FICHA TÉCNICA


Edição e propriedade: 515 - Cooperativa Cultural, ISSN 2182-7486


Rua Júlio Dinis número 947, 6º Dto. 4050-327 Porto – Portugal


Redacção: Rua Júlio Dinis, 947 – 6º Dto. 4050-327 Porto - Portugal

Email: geral@incomunidade.com


Director: Henrique Dória       Director-adjunto: Jorge Vicente


Revisão de textos: Filomena Barata e Alice Macedo Campos

Conselho Editorial:

Henrique Dória, Alice Macedo Campos, Cecília Barreira, Clara Pimenta do Vale, Filomena Barata, Jorge Vicente, Maria Estela Guedes, Maria Toscano, Myrian Naves


Colaboradores de Janeiro de 2019:

Flávio Sant’Anna Xavier, Adán Echeverría ..., Adelto Gonçalves, Amoi Ribeiro, André Ricardo Aguiar, António Vera, Carlos Matos Gomes, Elisa Scarpa, Eunice Arruda, Federico Rivero Scarani, Geraldo Lavigne de Lemos, Henrique Dória, Hermínio Prates, Jandira Zanchi, Jorge Castro Guedes, José Ioskyn ; Rolando Revagliatti, entrevista, Leila Míccolis, Lenita Estrela de Sá, Leonardo Almeida Filho, Luanda Julião, Luca Argel, Luiz Otávio Oliani, Maria Emília Lino Silva, Mariana Sosa Azupian, Marinho Lopes, Moisés Cárdenas, Octavio Perelló, Ramón Peralta, Ricardo Ramos Filho, Salomão Sousa, Túlio Henrique Pereira


Foto de capa:

MARC CHAGALL, 'Le marchand de bestiaux', 1912.


Paginação:

Nuno Baptista


Os artigos de opinião e correio de leitor assinados e difundidos neste órgão de comunicação social são da inteira responsabilidade dos seus autores,

não cabendo qualquer tipo de responsabilidade à direcção e à administração desta publicação.

2014 INCOMUNIDADE | LOGO BY ANXO PASTOR