Cultura

Poemas | Victor Oliveira Mateus

 

     arrumações 

 

arrumei já os livros
os versos
que andavam à deriva
por toda a casa

queimei os papéis d’amor
com o alvo há muito morto
a lealdade perde o sentido

joeirei o resto das sementes
e deixei-as ao sol
no quintal das traseiras
talvez possam servir ainda a alguém

soltei os animais
que
bem vistas as coisas
comigo sempre foram livres

enfim
levarei apenas
a esperança a fé os sonhos
esses não

não os largarei nunca
acompanhar-me-ão 
íntimos
até ao raiar da próxima estação

 

 

              teimosia 

 

vida torta
danada
lá vais coxeando 
sem uma perna sem cio
sem nada

vida aos soluços
carrinhos de choque
montanha russa
e o poço da morte já fora do recinto

vida aos poucochinhos
com bielas e mudanças já gastas
direção à deriva
retrovisor embaciado

vida torta
mas mesmo assim
ó serena ó nómada 
mesmo assim
no reino do faz de conta
nem por ouro
te trocava

 

 

      Soneto para uma cebola”

 

Há em ti, nessa beleza castanha,
nessas películas doces, sedosas,
uma qualquer coisa vaga e tamanha
qu’assola d’inveja: leguminosas

herbáceas e tudo o que mais venha
neste cozinhar de versos e prosas.
Ó hermética, dum monte de lenha
fazes um novo milagre das rosas!

Ousei (um dia) procurar teu fundo
– manhã de reflexos encimada!-,
núcleo que suspeitava profundo.

Mas chegado ao fim de tal caminhada,
vi tão-só um cenário imundo:
sapos, ratas cegas e mais nada.

 

Fotografia de Victor Oliveira Mateus.

Victor Oliveira Mateus é licenciado em Filosofia pela Universidade Clássica de Lisboa. Tem dez livros de poesia publicados e poemas, contos e ensaios igualmente publicados em diversos países de vários continentes. Foi:  Prémio Eugénio de Andrade (2007) pela União de Escritores Brasileiros do Rio de Janeiro; nomeado “Huésped Distinguido” (2018) pelo “Ayuntamiento de Salamanca”; Menção Honrosa no Prémio Glória de Sant’Anna e semifinalista do Prémio Oceanos (2019). Está traduzido para castelhano, catalão, inglês, italiano e romeno. Tem sido convidado para Festivais Literários em Portugal, Espanha, México, Bolívia, Colômbia, Guatemala e Índia. Integra periodicamente Júris de Prémios Literários. Coordenou, até final de 2020, a coleção de livros “Contramaré” e a “Revista Cintilações” ambas da Editora Labirinto. Dirige atualmente a “Oresteia, Revista de Literatura e Filosofia”. É membro do PEN Clube Português a cuja Direção pertenceu e é hoje membro dos seus Corpos Sociais. É também membro da APCL (Associação Portuguesa dos Críticos Literários).

 

Qual é a sua reação?

Gostei
3
Adorei
1
Sem certezas
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximo Artigo:

0 %